Bens comuns e espaços públicos. Materiais para pensar a igualdade e a diferença na arte, na cultura e na educação

La Muralla

Em 1969, o Chile se dividia entre um governo claudicante e as greves e os protestos estudantis. Em uma época de sussurros quanto a um possível golpe de Estado, momento de grande efervescência política, a banda Quilapayún lançou o álbum Basta com a primeira gravação da canção La Muralla. Abaixo apresentamos a música com tradução para língua portuguesa e também para Língua Brasileira de Sinais (Libras).

 

Subcomandante Marcos

Uma das máscaras mais famosas da história é a que desidentifica subcomandante Marcos, porta-voz do movimento zapatista do México. O acessório converte o homem em qualquer um, ao mesmo tempo que desidentifica a todos os que a usam, convertendo-os no subcomandante Marcos. Jorge Larrosa escreve neste caderno que a máscara “não mostra um indivíduo, mas uma totalidade, um movimento de ação coletiva”. Abaixo uma fotografia do subcomandante Marcos com audiodescrição.

 

Exército Clandestino e Rebelde de Palhaços

O uso das máscaras pelo Exército Clandestino e Rebelde de Palhaços é uma elaboração visual do qualquer um. Os adereços configuram os membros de um grupo que, situado em frente ao bloqueio policial, trata de parodiar e subverter a retórica do enfrentamento. Abaixo apresentamos uma fotografia do grupo com audiodescrição.